Páginas

Quanto Milhão


Ai, quanto milhão voando
Nos ares do Brasil
Em direção ao Norte
Do norte para o sul
Sem parada pré-determinada
Sem passaporte, sem avião

Ai, quanto milhão em malas
De cores diversas como todos
Os gostos são diversos
Em moedas correntes aqui
E lá nos Estados Unidos

Ano Novo se Repete, também se Renova

O ano novo começa em primeiro de janeiro
E os anos, desde antes de nós, tem doze meses...
Os meses são os mesmos, os eventos reprisam
Em primaveras, verões, outonos e invernos...

Tudo se repete... Mas, repara, nada é igual
A vida é um ciclo, círculo, só que em espiral
Tudo muda, tudo se transforma, tudo melhora
Com o passar dos anos, dos dias, das horas

Vamos festejar o natal



Vamos festejar o natal, meninada
Do Menino Jesus em Cuiabá
Veio andando, veio de madrugada
Veio sem fazer alarde, aqui está

Vamos festejar com o Menino...
- Não precisa tocar os sinos
Será uma festa simples, pouca
E vai durar a vida toda; não mais

Negócio de Ocasião

Vendo ou alugo um poema recém-refeito
Reformado para grandes eventos
Um poema para todos os sentimentos

O poema original estava esquecido
Com termos e rimas, hoje em desuso,
Parecia arcaico, um tanto esquisito

Pai Nosso que Estais no Céu

Pai Nosso que estais no céu
Pai de Nosso Senhor Jesus de Nazaré
Nosso irmão maior e mestre
Dai-nos a fé e compreensão
Para entendermos a sua infinita Justiça

Dai-nos a crença superior
Da eternidade da alm
Junto ao Espírito Santo,
Nosso consolador prometido

Prêmio Paraná de Literatura 2018 anuncia vencedores: Lourenço Cazarré (DF), Raimundo Neto (SP) e Daniel Arelli (MG)

Vencedores_Prêmio Paraná 2018

Da Assessoria | A Biblioteca Pública do Paraná (BPP) divulgou os títulos dos livros vencedores do Prêmio Paraná de Literatura 2018. Em sua quinta edição, o concurso da Secretaria de Estado da Cultura selecionou obras inéditas, de autores de todo o País, em três categorias que homenageiam figuras importantes da literatura paranaense. O júri apontou Kzar Alexander, o louco de Pelotas, de Lourenço Cazarré (DF), como o melhor romance (prêmio Manoel Carlos Karam). Todo esse amor que inventamos para nós, de Raimundo Neto (SP), venceu a categoria contos (prêmio Newton Sampaio). E Lição da matéria, de Daniel Arelli (MG), foi o destaque entre as obras de poesia (prêmio Helena Kolody).

Poeminha - de João Bosquo


Tenho um amigo demente
Que faz poesia
com cocô de passarinho
Na cabeça do vizinho
Que se irrita
com tanta poesia assim.