Páginas

1. inverno mármore

junice, nossa carne está fria
fria como a inverno mármore;
como mármore de antigas mágicas;
como desmagias de vidas infinitas

vamos desfazer de nossos corpos
e deslembrar dos egípcios faraós,
escondidos em longos corredores
de estranhas pirâmides seculares

vamos levar os restos fúnebres,
sem esquecer de apagar os rastros,
para que ninguém encontre os ossos

de tão doídos amores transladados
junice, nossa carne está fria, gelada,
nesse arquivo, para sempre arquivada.

Postar um comentário