Páginas

Delírio


Estou salvo!
Li uma poesia
infinita e falava do céu
e levou-me ao delírio

Nunca pensei,
sempre duvidei
que pudesse acontecer
assim comigo

Era uma poetisa,
a autora de sublime poema,
que provoca deleite
e eleva ao infinito
da imaginação

Jamais pensei
que fosse sensível
em chegar às lágrimas
fáceis provocadas
pela emoção poética

A poesia falava
do alto da montanha
chegava dos píncaros
em dois passos

Os anjos estavam presentes
Gabriel, Rafael
até o Filho de Deus,
e sua misericórdia maravilhosa

Cheguei ao céu
não fui capaz de articular
nenhuma palavra sábia
permaneci eu mesmo
perdi o fôlego
senti o gosto agridoce
debaixo da língua
o coração pulsando pleno
porém estático
senti a dilatação da íris
enquanto tudo se passava
numa fração de segundo
quando lia
a poesia infinita
de uma poeta infinita
e falava do infinito céu.
2008
Postar um comentário