Páginas

Motivo Escasso


Com o nosso sangue
que escorre deste corte
escrevo este poema
na sua própria sorte

Não falo nada, nem muito
apenas o necessário
que acredito ser assunto
no dia-a-dia operário

Se nele prevejo dor
por conta da verdade dita
também não se vê cor
mas o sangue desta vida

Todos por algum motivo
não importa, um dia sofre
quem é o morto ou o vivo
esteja ou não no cofre

A vida, como metáfora nos poemas,
- se de tal maneira vem escrita
ao léu com os seus fonemas -
é sorte e azar da própria desdita

1974

Postar um comentário