Páginas

Tempo certo

O relógio, o espaço
horário do tempo certo
O sol mesmo sem se pôr
agora amanhece

Os homens como ovelhas
correm mansos para o pasto
com sinais que determinam
paradas pra não dar tempo

Sonhos não concretizados
lágrimas não se compram
a dor não se reparte
criam a solidão do só

Que mesmo acompanhados
nada mais são que só
Que mesmo ouvindo-falando
nada mais são que mudo-surdos

(Na calçada chora a criança
que a mãe, por necessidade
e esperança-crença nos homens,
deixou para que a encontrassem).
Postar um comentário