Páginas

Tutti Buona Gente


A justiça anula os grampos da operação
Os grampos estão nulos para efeito de prova
Os acusados, de antemão, estão liberados
de apresentarem contraprova de inocência...

Os grampos, não importa, se a voz do bandido
estava embargada, desafinada ou a meia voz
Se a conversa foi a meia-luz, meio na surdina
depois que o sol se pos, à meia noite aqui

Os grampos só trazem vozes que se traem
que desdizem quanto a moral e bons costumes
quando todos tentam passar a imagem séria...
Mas tem muita coisa mais séria ao cair a máscara...

Esse e aquele outro, não são fulanos?, indaga
o pagador de impostos. São não. São sicranos
gatunos, larápios, técnicos em rapinagem,
que roubam sem revólver, sem traumas e sangue

São "tutti buonna gente", que não exaltam a voz
mesmo quando desafiados a provar inocência
em caso de furto tão mirabolante, de letrinhas
impressas em contratos assinados em pactos

A justiça do Brasil, bom que se diga, fez seu papel
de livrar a cara dos bons antecedentes
filhos de boa família, para sempre(?). Impunes
vão aos bares da moda comemorar a sentença.

19 de novembro de 2009

Postar um comentário