Páginas

Quatro Meninos

Vinha outro dia
Andando por essas ruas frias
E encontrei três meninos maltrapilhos
Pareciam nossos irmãos
E, ainda, seus filhos
Quietos, quietos todos
Ouçam as lágrimas de Cristo
Que sempre foi à favor
Dos pequeninhos
Se os três meninos
Não eram nossos irmãos
O que eram então?
Maltrapilhos por ser...
Não! Não!
Alguém tem de responder
Por essas três crianças
De olhos opacos
Cabelos pretos
E rostos pálidos
Quem? quem?
Ou serei culpada sozinha
Pelo gozo, pelo feto concebido
Ou seremos covardes
Para não manifestarmos?
Cientizem-se
Elas não nos culpam
Mas, vamos nos defender
com que desculpas?
Se também fazemos parte da mão
Que rouba sua comida
E maltrapilha sua roupa
Quietos, quietos todos
Ouçam as lágrimas de Cristo
Ao ver passar nas ruas
Três meninos maltrapilhos...
><>Composto para que uma colega estudante pudesse participar de um concurso de poesia declamada que aconteceu durante 27º COESES - Congresso Estadual dos Estudantes Secundaristas que foi realizado no ano de 1976 na cidade de Francisco Beltrão-PR.
Postar um comentário