Páginas

Deve Haver


Deve haver alguma coisa que não seja tristeza
para que as coisas e cousas se animem
e uma lágrima não sujes teu rosto

Deve haver uma beleza inatingível
para que as coisas e cousas não desanimem
e o riso não sorria de desgosto

Deve haver alguma coisa chamada esperança
para que as coisas e cousas não saiam do caminho
e que não pensem em desespero

Deve haver alguma coisa que não seja medo
para não brilhar o escuro
no horizonte dos teus olhos
e os pesadelos entre em desestima

Deve haver alguma coisa poética
para que nós poetas tenhamos razão de ser
e você seja sempre a doce musa

Deve haver alguma forma carinhosa de dizer não
para que haja compreensão nas conversas
e a discussão entre em diálogo

Deve haver alguma coisa não ridícula
para que não haja pudor nas palavras
e você saiba dizer: - amo

Deve haver alguma coisa contrária
para que o pecado e o câncer deixem de ser
e a morte morra de caduquice

Resta o que deve
haver depois
alguma coisa há de fazer haver
em tudo um pouquinho de alegria

Resta o que deve
haver depois
alguma coisa há de fazer haver
em tudo uma pontinha de sentimento

Deve é o que resta
depois o haver
o haver deve
deve haver depois.

Publicado em 09/11/1975 no Suplemento Literário Texto Prosa & Verso do jornal Eco/um
Postar um comentário