Páginas

Eu Vi o Cachorro Sorrindo (revisto)


Quando vi o cachorro sorrindo, não acreditei
Contudo, pensei: hoje é meu dia de sorte!
Não são todos os cachorros que sorriem
e, mesmo assim, aqueles que riem, sorriem,
não fazem isso toda hora, qualquer momento
Nos dias de sorte, costumo andar, caminhar
devagar, olhando para o céu, contando as estrelas
e - se de dia - decifrando as formas das nuvens
E nesses dias de sorte, sempre,
descubro uma nova estrela, um novo rosto
Hoje, depois do cachorro sorrindo, descobri
você lendo lento este poema - a princípio absurdo -
que fala de coisas que nos deixam alegres
com uma ponta de felicidade a descobrir.
2011
><>: Nesta madruga, não sei o horário exato, Pepe, meu  vira-lata  que me fazia sorrir e eu o via sorrindo, por causa dessas viroses de cachorro, morreu.  Por isso republico esta imitação de soneto.

Postar um comentário