Páginas

Fulana

Quem amou essa menina
amou
Sentiu o gosto doce
gostoso de fazer amor

Essa menina
me deixou louco
Ardente de paixão
procurava por ela
dia e noite
nos lugares mais distantes
da cidade, do país, do planeta
visitando os cabarés de Pequim
os bordéis de Paris

Quem amou essa menina
amou do bom e do melhor
sentiu o gosto da pele
do suor, dos líquidos, dos fluídos...

Essa menina
fugiu por entre as pernas
Dos meus braços
não encontrei saída
saí em seu encalço
Procurei nas revistas
Nos catálogos
Estava apaixonado
Cego, não a encontrava

Essa menina
Tem os segredos do amor
Das carícias, dos gestos
mais alucinantes
Que somos incapazes de imaginar
Ela mexe com os músculos
Com a aorta, com os dedos
Com os segredos dos nervos

Quem amou essa menina
Não esquece jamais
Ela é uma fulana sem páreo
Naquilo que somente ela
É capaz de fazer.

Postar um comentário