Páginas

No Precipício


Não me molhe com sais de lágrimas.
Me lambuze com mel
doce, doce, doce de amor

Faça comigo gostosa esquisitice
na vértice da noite
escondidos nos lençóis
laços dos sexos sedentos

Não me expulse como falas banais.
Me retenha com beijos
puros, duros, sucos de paixão

Faça comigo marota peraltice
que esconde os corpos
na gênese madrugada
no precipício do prazer.

Publicado originalmente no suplemento Ilustrado, do Jornal do Dia, em 02/02/1986.

Postar um comentário