Páginas

Minha Poesia Cuiabana

Minha poesia
anda meio afrescalhada
meio purpurina, alegoria

Minha poesia
só quer saber de andar
no meio da rua, farol forte
salto alto

Minha poesia
não fala de gente,
de pessoas
meninos de rua,
de passeios de mãos dadas

Minha poesia
anda meio esquisita
social-democrata
meio mulatinha
um pé na sala, outro na cozinha

Minha poesia
acorda bem cedo
brincando que é séria
nem dá bom dia pro padeiro

Minha poesia
tem dia acorda macho
outro, meio feminina
(Quem entende? Ninguém!)

Minha poesia
é meio cuiabana
meio modernista
(Vê se'stou na esquina?)
Cartão postal, telefônico
de crédito Visa... Credo cruz!

Minha poesia...
Quer saber de uma coisa?
Minha poesia
tem uma puta freguesia.
Poema declamado no evento 2º EdiçãoArte - Os Jornalistas revelam seus talentos, em 09/06/1994
Postar um comentário