Páginas

Numa Rua

Numa rua transversal
estreita e torta
vê-se uma criança
pedinte e morta
sorrindo carinhosa
implorando misericórdia

Mas... sempre o mas,
Nós não se importa
nem empresta uma cova
e deixa o corpo sem cor
sob o sol do amanhecer
decompor-se pros urubus.
Postar um comentário