Páginas

Quarenta e Quatro

O poeta manequim 44
Passeia pelo parque
De terno gravemente azul
Sem medo nenhum
D'uma sonora bengalada.
Postar um comentário