Páginas

Prognóstico Poético (trecho)

Com o tempo – pois o tempo
É o velho senhor de todos –
O poeta descobre que não existe
Assunto privado pra poesia
Senão a própria poesia

Voltemos ao poeta...
No ponto de ônibus
O poeta desatento rabisca

A poesia, não são todas às vezes, se questiona
Quando caminha nas calçadas das grandes cidades
“Por que as pessoas, pedestres, não seguem
Todas no mesmo caminho?”
Uns vão (entre eles eu ou você)
Enquanto dezenas, centenas, milhares
Vem em sentido contrário...


continua...

Postar um comentário