Páginas

Nossos pesadelos

Senti-me só, inválido,
diante de um homem
                                 morto
de uma forma estranha e brutal
Quis gritar, expandir minha dor
ao limite máximo de minhas fronteiras...

Impotente não pude
viver o ato simples de viver
sofrer, viver, sofrer, viver
como a um obcecado
assisti aos lances
mais espúrios
e não fui capaz de nada

Gravar na retina, na memória
são atos passivos
Um tiro, uma execução
um grito de denúncia
o mexer com os sentimentos
sacudir as pessoas
já é uma altivez
contra o embrutecimento
insano que se forma em nós
nesta guerra selvagem
com ranço de traição...

Peço perdão, agora,
pelo momento em que
senti-me só, inválido
como nos nossos pesadelos.
Postar um comentário