Páginas

Tem Horas que o Dia Passa

Tem horas que o dia passa, a noite vadia
E eu, cara-a-cara, fico perdido nesse pensar
Sem decifrar que os passos lentos continuam
Pela estrada sem memória de pés ingratos

Outras horas, o dia-a-dia não se repete
E se sente o pulsar da vida na mata, na veia
Dos rios, córregos, mares e oceanos
Entre ruas, avenidas, vielas e fábricas cidades

Todas as gentes são idênticas: horas manhãs,
Madrugadas, noites e amanheceres de luzes
Que se intercalam minutos de entardecer
De tentar decifrar qual o caminho escolhido...

Nada, porém, supera a esperança certeira
Que a vida, embora de passagem, é eterna.

><>Amigo leitor pode ler a primeira versão clicando AQUI 
Postar um comentário