Páginas

Dois Garis e um Boris fora da linha

Que digno, dois garis, no alto de suas vassouras
Desejando feliz ano novo, muito trabalho e dinheiro no bolso
Não apenas para os pobres, como eles, mas para todos
Inclusive os poderosos, pois eram votos de felicidade.

Que indigno, um jornalista, abaixo da mediocridade
De sua bancada, falando escondido, atrás das câmaras,
Com luzes apagadas, acreditando que os microfones
Estivessem desligados, dos dois lixeiros...


Mas indigno, me perdoem meu julgamento -
Foi o pedido de desculpas, da boca pra fora
Ineficiente, inodoro, inócuo... Enfim, ridículo
Pois não explicou o motivo da ofensa vazada

Não explicou porque da ofensa debochada
Com os trabalhadores mais baixos da escala social
Que fica limpando as sujeiras dos boys, bois e Boris.


Postar um comentário