Páginas

Agora nada mais me impede de ter medo

Agora nada mais me impede de ter medo
Todas as barreiras de proteção foram derrubadas
Todos os marcos civilizatórios estão apagados
Mesmo assim voto em busca da democracia

A urna, neste 28 de outubro, é a última trincheira
Carrego o título de eleitor em um dos bolsos da calça
Separado da carteira, confiando no leitor digital,
Confiando que mais pessoas estejam com medo


Agora nada mais me impede de ter medo...
O medo também passa ser minha defesa
Sei que irmãos estão perdidos, ludibriados
Pelas redes sociais, pelas Fake News

Agora, olho no olho, digo, repito, acredito
Que o único caminho é a democracia e eu busco...
Postar um comentário