Páginas

Relógio


A poesia neste momento é tão difícil
Tão difícil de sentir, de fazer sentido
Tudo, sem pecha, está tão parecido,
igual no filme, mocinho e bandido,
com o mesmo traje multicolorido.

A poesia neste momento é fugidia
Não se segura em nenhuma nova rima
que não se vê nem à luz do meio-dia

A poesia, senhores, é proletária,
extraordinário nada tem, retardatária
sempre a um passo bem aquém

A poesia neste momento, só atrasa
Como atrasados somos todos nós
operários, síndicos, ladrões... Ou não?

><> Do livro "Quotidianos de Tempos e Temperos", pronto, que devo lançar antes do meio de 2019, como sempre com participação dos amigos.

Postar um comentário